POL√ćCIA BRINCADEIRA DE MAU GOSTO

SUPOSTO ATAQUE EM ESCOLA DE VILA DO CONDE EM BARCARENA FOI FORJADO PELO PRÓPRIO ALUNO

Respons√°vel por mensagens ameaçadoras disse na delegacia que tudo não passou de brincadeira. Mesmo assim, aluno foi suspenso por tempo indeterminado.

Por Evandro Santos

06/04/2023 às 10:53:20 - Atualizado h√°
Escola Estadual Padre Delgardes | Vl do Conde | Barcarena

Uma suposta tentativa de ameaça contra a Escola Estadual Padre José Delgardes, que fica na rua Santarém, em Vila do Conde, gerou medo em professores, pais de alunos e aos próprios alunos do estabelecimento de ensino.


Nesta semana not√≠cias de que haveria um ataque no local promovido por próprios alunos da unidade escolar. O caso foi parar na Pol√≠cia.


Após o registro de boletim de ocorr√™ncia feito pela direção da escola, o delegado Guilherme Traldi da Vila dos Cabanos intimou o adolescente que seria o respons√°vel pelo suposto ataque para prestar depoimento. O aluno compareceu à delegacia acompanhado dos pais. Mas ele apontou outro estudante como autor das mensagens ameaçadoras.

O segundo adolescente também foi à delegacia com os pais e l√° foi constatado que o adolescente teria mesmo produzido conversas em grupo de celular, mas não para atacar a escola, mas para atingir um outro colega por causa de bullying.

Para o delegado, as mensagens de ataque foram simuladas pelo próprio aluno para impressionar quem praticava o bullying. Este chegou a criar um WhatsApp (perfil fake) para "conversar com ele mesmo" e simular que estaria tramando o ataque com outra pessoa.


Ou seja, o que parecia uma ameaça, segundo o aluno, não passou de uma brincadeira de mau gosto. Mesmo assim, a Pol√≠cia Civil fez um boletim de ocorr√™ncia circunstanciado e encaminhou o caso para o Ministério P√ļblico do Estado. Por precaução, o aluno foi suspenso da escola por tempo indeterminado.


ORIENTAÇÃO - O delegado Guilherme Traldi esclareceu que não havia um grupo envolvido na divulgação das mensagens de cunho ameaçador.

"Havia apenas um aluno envolvido e ele negou que iria realizar qualquer tipo de massacre na escola. Ele tinha um problema maior com um colega que ficava zoando ele! Não havia qualquer refer√™ncia nazista ou grupo relacionado ao nazismo no celular do adolescente", disse Traldi.


A autoridade policial recomendou o combate às mensagens que podem causar alarme na população.

"Orienta-se para que não se saia compartilhando informações que provoquem alardes desnecess√°rios, devendo qualquer fato desta magnitude ser comunicado imediatamente às autoridades policiais para que tomem as medidas cab√≠veis", orientou o delegado.
Fonte: Portal do Carlos Baía
Comunicar erro
Portal do Carlos Baía

© 2023 Portal do Carlos Baía
(91)986005813

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Portal do Carlos Baía